inscreve-te tranquilamente nos nossos eventos

Laboratório/de/si, dia 18 de Fevereiro com Carla Martins

Veja toda a informação sobre o Evento ou Aula.

Deslize para baixo e veja todos os detalhes

 

 

 

 

 

 

80,00

8 em stock

Desfoca-te – Laboratório/de/si é um encontro imergência, um dia de questionamento, caminhando na direção do desestudo, da [nossa] desconstrução*, recorrendo a diversos processos e ferramentas artísticas e práticas expressivas. Virando-nos para o que está [pode estar] entre os passos desse caminho, tentaremos entender a importância desses entre no que somos [sentimos ser].

Quem vier, que venha pelo acaso deste caminho, pelo desejo do estremecimento que o caminho nos traz [nos pode trazer].

Quem vier, que venha por não querer fórmulas mágicas, promessas de resultados surpreendentes: que venha apenas pelo desafio do olhar para dentro, do mergulho no que pensamos ser, da descoberta da multiplicidade que carregamos [e que urge reconhecer, acolher].

Espalhemo-nos por esse espaço-sala que se quer imergente, andemos curiosos, desatentos, quebremos as pernas pelo sentar, encaremos o Outro, tomemos o tempo que julgamos nosso para escrevinhar, esgaratujar, mobilizar o corpo. Ponderemos sobre o que sabemos, demandemos sobre o que julgamos certo e errado, experimentando [o que nos apetecer]. Partilhemos, caindo, levantando, berrando, observando, escutando, calando e tudo o mais que fizer sentido.

Quem vier, que se abra ao espanto, incerteza, enleio, inquietação e que daqui saia ainda mais pleno… de perguntas.

_____________________________________________________________________________

Desfoca-te – Laboratório/de/si

versão 1.0, a partir de excertos literários

 

– Sábado, 18 de Fevereiro de 2023

10h-18h*

* com pausa de 1h30 para almoço

 

– Espaço Essência de Luz

Rua Palmira, nº 66, 3º andar, Letra C

Anjos – Lisboa

1170-287 Lisboa

Google Maps

 

Outras informações e indicações relativas a este encontro serão enviadas por email após a inscrição.

 

_____________________________________________________________________________

Nota prévia

Por favor, tenham em atenção que o caminho a percorrer neste encontro pressupõe a captação exploratória de som e imagem, já que constituem estas captações algumas das ferramentas que vamos usar para as nossas práticas. Para participar é necessário que todos os participantes autorizem esta captação e, por isso, o ato de inscrição implica o preenchimento obrigatório de uma Declaração de Autorização.

 

_____________________________________________________________________________

Menu para o caminho

Olhar o corpo, reconhecer[mo-nos n]o mundo, práticas de movimento e consciencialização corporal: abrir/ fechar, cima/baixo/lados, deitar, levantar, rodopiar, equilibrar, ir de encontro a.

Derrota, do latim dirupta [via], «[caminho] aberto»*, pés na terra: andar, observar-escutar

Criar laços, lendo[-nos], sentar lado a lado: nós e os excertos literários

No mundo, que se quer infindável, procuramos o quê?, respigar como uma forma de nos encontrarmos

Práticas exploratórias de movimento e voz, o corpo que vibra e oscila em simpatia com o Outro

Perguntas para respostas infindáveis, afinal, o que nos inquieta?

Registar para corporizar, os sons que regurgitamos, os passos que damos

Transformar, brincar com a voz e movimentos que captámos.

 

*Porto Editora – derrota no Dicionário infopédia da Língua Portuguesa [em linha]. Porto: Porto Editora. Disponível em https://www.infopedia.pt/dicionarios/lingua-portuguesa/derrota

 

_____________________________________________________________________________

© Carla Martins

https://corpoplural.wixsite.com/website

corpopluralcorpo@gmail.com

Tenho especial interesse no trabalho de educação pela arte que cruza caminhos expressivos como a Música, a Expressão Plástica, o Movimento, a Expressão Corporal, o Jogo Dramático. Acredito que é no começo da vida [do nosso corpo físico] que tudo se passa, e que é a estes primeiros anos de existência que regressamos vezes sem conta [e sem nos darmos conta] – estejamos chorosos ou radiantes, i.e., por tudo e por nada. Por isso, registo os meus dias – as surpresas que me reservam, através duma multiplicidade de suportes e com a errância e nomadismo próprios de quem se sente sempre nesse vaivém entre adultícia e infância. E o que faço com estes registos? Muitas vezes nada, tantas vezes uma açorda [misturando tudo] que degluto para me ajudar a entender onde estou, quem me rodeia e as questões desarmónicas que, amiúde, me assaltam.

 

 

80,00

8 em stock